Compromisso Anticorrupção

A Núcleo Ético não participa e jamais participará de atividades que envolvam corrupção, falsificação, sonegação, discriminação, assédio ou quaisquer outros procedimentos contrários à sua filosofia de trabalho.

Quando estabelecemos este compromisso público e imprimimos no verso dos nossos cartões de visita, colhíamos olhares surpresos e comentários como “Nossa, vocês vão perder muitos trabalhos” ou “Desse jeito vocês vão limitar muito o campo de atuação da empresa”!

Nosso objetivo com esta iniciativa era formar uma rede de pessoas idôneas e, como consequência, trabalhar com as melhores pessoas e as melhores organizações deste país. Elas acolheriam o propósito da nossa ação e seríamos prestigiados exatamente por isso, não o contrário. Passados alguns anos, constatamos que estávamos no caminho certo.

Esse compromisso derivou de algumas idéias, vivências e percepções sobre o Brasil e o ambiente brasileiro de negócios que vamos compartilhar aqui:

Imagine que você é um professor ou uma professora de ética e que no final do ano tenha que dar uma nota para um aluno chamado “Brasil”. Que nota você daria entre zero e 10, sabendo que zero é um país muito corrupto e que 10 é um país muito limpo?

Respondeu? Então compare a sua nota com a pontuação obtida pelo Brasil e por outros países no Índice de Percepção de Corrupção, medido anualmente pela Transparência Internacional [clique nas imagens para ampliá-las]:

Infelizmente nós ainda não tivemos no Brasil um plano federal de combate à corrupção, como tiveram a inflação e a fome. Historicamente, desde que o índice foi lançado em 1995, o país obteve as seguintes pontuações:

A corrupção é definida como “ato ou efeito de subornar uma ou mais pessoas em causa própria ou alheia, geralmente com oferecimento de dinheiro; suborno” (Dicionário Houaiss).

Apesar de estar intimamente ligada ao funcionalismo público, ela não se restringe a ele e engloba tanto o setor público quanto o privado.

Falar de corrupção não é um assunto dos mais agradáveis. Quem esclarece o motivo é Affonso Romano de Sant’anna, que explica a origem da palavra:

No momento de fechar negócios, quais valores são mais importantes para você: os valores éticos ou os valores financeiros? Eles caminham juntos?

E quanto ao fato de poder ou não aceitar presentes no ambiente de trabalho? Em que momento um presente se torna uma propina?

Quem dá a resposta a essa questão é o general Olusegun Obasanjo, ex-presidente da Nigéria, um dos países com maior percepção de corrupção do mundo:

Uma passagem do livro “Escolhas Difíceis”, de Carly Fiorina, ex-presidente da HP, ilustra a dificuldade de se fazer negócios éticos no país:

Então agora você pode responder outra pergunta: Como um país tão corrupto pôde se tornar uma referência internacional em responsabilidade social?

A resposta é que aqui concentramos grandes desafios sociais e ambientais e que, especialmente nos temas ligados à corrupção, pessoas e organizações em número crescente conscientizam-se que são parte do problema e também da solução.

Faça a diferença você também, que tal começar assinando o Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção? São sete os pontos a serem seguidos pelas organizações signatárias:

A Núcleo Ético é signatária do pacto desde o dia do seu lançamento e estruturou as “Oficinas de Diálogos sobre Práticas Empresariais Anticorrupção”, em parceria com o Instituto Ethos, a Empresa Limpa, a CGU – Controladoria Geral da União e o UNODC – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes, que já contou com várias edições pelo país.

Não se esqueça nunca: se vivemos num país corrupto, eu e você somos os dois primeiros cidadãos que devem melhorar.

Bons negócios e bom país para todos nós!

 

– – –

 

Saiba mais sobre os temas, iniciativas e práticas anticorrupção:

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO – Prevenção da Corrupção

ELLIOT, Kimberly Ann (org.). A Corrupção e a Economia Global. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2002. 353 p. p. 223.

EMPRESA LIMPA

FOLHA DE SÃO PAULO – Especial “O Custo da Corrupção”

INSTITUTO ETHOS DE EMPRESAS E RESPONSABILIDADE SOCIAL – Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção

KLITGAARD, Robert. A Corrupção sob Controle. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994. 262 p.

MUSEU DA CORRUPÇÃO

OCDE – Anti-Bribery Convention

ONU – Global Compact

SILVA, Marcos Fernandes Gonçalves da. A Economia Política da Corrupção no Brasil. Série Ponto Futuro, 8. Coordenação de Benjamin Abdala Junior e Isabel Maria M. Alexandre. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2001. 144 p.

SPECK, Bruno Wihelm (org.). Caminhos da Transparência. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2002. 517 p.

TRANSPARÊNCIA BRASIL

TRANSPARENCY INTERNATIONAL

TREVISAN, Antoninho Marmo et al. O Combate à Corrupção nas Prefeituras do Brasil. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003. 77 p.

UNODC – UNODC’s Action against Corruption and Economic Crime

UOL – Especial “Corrupção no Brasil”

WORLD ECONOMIC FORUM – PACI – Partnering Against Corruption Initiative